DSC_2179.png

Freio Magnético

Uma placa metálica oscilando entre os dois pólos de um eletroimã, gera uma variação do fluxo magnético através da placa.

 

Essa variação do fluxo magnético através da placa fará, de acordo com a lei de indução de Faraday, surgir o aparecimento de uma corrente elétrica na própria placa. Estas correntes induzidas, que aparecem em circuitos fechados que oscilam em um plano perpendicular a um campo magnético são chamadas de corrente de Foucault, ou correntes parasitárias. Esta corrente, por sua vez, também gerá um campo magnético que se opõe ao campo magnético indutor (lei de Lenz), fazendo a placa parar de oscilar em pouco tempo.

 

Aplicações:

 

Esse efeito é utilizado em vários tipo de frenagens, entre elas podemos citar a frenagem de trens, de guinchos de grandes guindastes e até mesmo em carretilhas de pesca.

 

No caso dos Freios Magnéticos, estas correntes parasitárias são desejáveis. Mas, tais correntes também ocorrem nos núcleos metálicos de transformadores, provocando indesejáveis perdas de energia e aquecimento do núcleo. Para minimizar este efeito o núcleo é construído com chapas laminadas.

 

Uma variante deste princípio é usada nos medidores de consumo de energia elétrica.

 

Como fazer:

 

Faça uma placa de alumínio com 8 cm de cada lado e aproximadamente 3 mm de espessura. Prenda essa placa de tal forma que ela fique livre para oscilar no plano perpendicular ao campo magnético formado pelos eletroimãs. Disponha dois eletroímãs comforme ilustra a figura, lembrando de colocar polaridades diferentes em cada eletroiímã. Ligue os eetroímãs a uma fonte com ajuste de tensão, para você poder variar a intensidade do campo magnético, fazendo a placa parar menos ou mais rapidamente