DSC_2179.png

Efeito Fotoelétrico

 

Heinrich Hertz observou, em 1887, que se iluminasse um par de eletrodos com potências elétricas diferentes, surgia uma descarga elétrica, indicando que de alguma forma a luz influenciava os metais, facilitando a produção de tais descargas. Hertz chegou a conclusão de que esse fenômeno devia-se apenas a luz ultravioleta. No ano seguinte, Wilhelm Hallwachs comprovou que a superfície de alguns metais emitiam elétrons quando iluminadas, elétrons esses chamados de fotoelétrons devido a sua origem, e ficando, assim, carregada positivamente.

 

Dois anos após a descoberta de Hertz, Thomson postulou que o efeito fotoelétrico consistia na emissão de elétrons, utilizando demonstrações experimentais.

 

Conforme constatou Hertz, uma superfície metálica imulinada por uma luz ultra-violeta fica carregada positivamente devido a emissão de elétrons. A emissão de elétrons cresce com a intensidade da radiação que incide sobre a superfície metálica pois mais energia fica disponível para a emissão dos elétrons. No entanto, há uma frequência mínima para que haja a liberação de elétrons (essa frequência depende do material com que é feito o objeto). Depois de alcançado esse valor de minímo de frequência, nota-se que a probabilidade de ocorrer efeito fotoelétrico diminui à medida que aumenta-se a frequência de luz emitida.

 

O Experimento consiste em emitir luz ultravioleta sobre um eletroscópio carregado com cargas negativas. Podemos ver que antes de emitir luz o eletroscópio fica carregado durante um longo período, e após a emissão de luz ele se descarrega rapidamente, confirmando a teoria de que corpos irradiados com luz ultravioleta emitem elétrons.

 

Aplicações:

 

A descoberta do efeito fotoelétrico possibilitou o surgimento do cinema falado, da televisão. Além disso, vários maquinários dependem do emprego de equipamentos fotoelétricos, possibilitando a produção de peças sem intervenção do homem.

 

É também graças ao efeito fotoelétrico que hoje em dia luzes acendem e apagam de acordo com a iluminação ambiente. Isto deve-se à invenção das chamadas células fotoelétricas, onde a luz provoca a emissão de uma corrente elétrica.

 

Como fazer:

 

Você vai precisar de um eletroscópio, de uma lámpada que emita luz ultravioleta e de um bastão de PVC, além de pedaços de papel para atritar com o bastão.

 

Atrite o bastão com um pedaço de papel, eletrizando-o por atrito, com cargas negativas. Em seguida encoste o bastão no eletroscópio, deixando-o asism eletrizado por contato. Já com o eletroscópio eletrizado observe o quão inclinada está a agulha do eletroscópio. Depois emita luz ultravioleta sobre o eletroscópio e observe que rapidamente o eletroscópio descarrega-se.